Brazil

Biblioteca de Implante Coclear

A AB oferece uma variedade de materiais informativos para os usuários, pais e pessoas considerando implantes cocleares para si ou para um ente querido. Pesquisas, artigos, jornais e brochuras, a Biblioteca de Implante Coclear ajuda você a compreender melhor a jornada auditiva com os implantes cocleares.


“O que eu valorizo mais em ter a AB como um parceiro na minha viagem para a audição é que a informação está sempre disponível, assim como o suporte."

Judi Axel, implanted at age 60, bilaterally implanted at age 61

AB News

A Advanced Bionics oferece um jornal informativo que provê suporte, dicas e novidades sobre os Sistemas de Implante Coclear, sobre os serviços e sobre novas Tecnologias.

Novidade

Resultados Clínicos com HiRes Fidelity 120TM

Baixe o Artigo

 

Artigos de Informação Geral

Estes artigos oferecem uma visão geral dos implantes cocleares e da deficiência auditiva.

Informações Gerais do Implante Coclear

Os implantes cocleares são próteses projetadas para restaurar a audição em adultos e crianças com uma perda auditiva neurossensorial severa a profunda, convertendo o sinal de entrada acústica em um padrão elétrico que é interpretado como som pelo usuário. Um implante coclear é constituído de componentes internos que são colocados cirurgicamente e de componentes externos que requerem montagem e programação. Os implantes cocleares são considerados o único tratamento médico para a perda auditiva severa a profunda.

Implante Coclear Vs Aparelho Auditivo
Os implantes cocleares são diferentes dos aparelhos auditivos. Um aparelho auditivo amplifica o som e baseia-se na capacidade de resposta das células ciliadas internas saudáveis do ouvido em receber esse som e enviar a mensagem para o cérebro. Em pacientes com perda auditiva neurossensorial severa a profunda, as células sensoriais do ouvido interno morreram ou estão danificadas de forma que um aparelho auditivo não consegue ser benéfico para a compreensão da fala já que não há células sensoriais saudável suficientes para retransmitir a mensagem para o cérebro. Um implante coclear, no entanto, ignora as células sensoriais ausentes ou danificadas e estimula o nervo auditivo diretamente através da conversão do som acústico de entrada em um padrão elétrico que é reconhecível para o nervo auditivo e transmitido em informação de som para o cérebro.

Componentes e Funções do Implante Coclear
O sistema de implante coclear é constituído de um microfone, um processador de som, uma antena, um cabo e o componente interno. A parte implantada cirurgicamente está posicionada por baixo da pele e do tecido muscular, na lateral da cabeça por um cirurgião. O pequeno eletrodo do implante é posicionado dentro do ouvido interno, na cóclea, durante a cirurgia. O componente externo é um computador miniatura, chamado de processador de som, e é usado na parte externa do corpo, seja através da parte de trás da orelha (Processador de som Harmony ™), ou ao nível da cintura (Processador de som Platinum Series).
Um microfone conectado ao processador de som detecta os sons próximos e o processador converte esses sons em sinais digitalmente codificados. A antena, magneticamente alinhada sobre o implante e ligada ao processador de som, envia rapidamente estes sinais como ondas de rádio através da pele para a parte implantada.

O implante recebe estes sinais digitalmente codificados e os interpreta usando sua sofisticada arquitetura microeletrônica e múltiplos circuitos de saída independentes para enviar o estímulo focado pelo eletrodo para o interior da cóclea. Múltiplos contatos físicos situados ao longo do comprimento do eletrodo, emitem pulsos de estimulação focados nos receptores do nervo auditivo no interior da cóclea. As fibras nervosas então enviam essas informações para o cérebro para o processamento central, interpretação, percepção auditiva e reconhecimento dos sons de entrada.

Cirurgia de Implante Coclear
Adultos e crianças com 12 meses de idade e mais, com perda auditiva neurossensorial severa a profunda, podem ser candidatos a um implante coclear. Normalmente os candidatos são adaptados com aparelhos auditivos, mas apresentam benefício mínimo. Os benefícios com a prótese auditiva são determinados por meio de testes de diagnóstico padrão administrados por fonoaudiólogos, bem como questionários para pais, professores e terapautas, que medem a resposta de uma criança ao som e o desenvolvimento da fala com os aparelhos auditivos.
Uma vez que uma criança ou um adulto estejam determinados a ser um candidato ao implante coclear, tenham concluido o processo de avaliação e a aprovação pelo convênio ou pelo Centro Público, a cirurgia será agendada. A colocação cirúrgica da parte interna do dispositivo é realizada sob anestesia geral, e leva cerca de duas horas. Normalmente, esta cirurgia é feita em um Hospital onde o adulto ou criança chegam na parte da manhã e vão para casa no final da tarde ou dia seguinte, a critério médico. 

Após um período de recuperação de 3-6 semanas, o usuário irá retornar para o audiologista para a ativação dos componentes externos. Esta ativação é muitas vezes referida como uma estimulação inicial". Um audiologista programa o dispositivo durante este processo. A programação envolve a definição dos parâmetros específicos de estimulação para o usuário, particularmente os níveis percebidos como suaves e confortáveis. O Software de programação especial (SoundWaveTM) é utilizado pelo audiologista para criar, ajustar e otimizar os programas do processador de som, para melhor atender às necessidades auditivas individuais.
Após a estimulação inicial, o usuário irá necessitar de ajustes frequentes ou "ajustes finos", conforme se adapta ao dispositivo. Enquanto alguns usuários se adaptam muito rapidamente, outros requerem várias semanas ou meses. Quanto de som é compreendido pelo usuário depende de vários fatores, incluindo a idade no momento do implante, duração da surdez, experiência anterior com os sons e acesso aos serviços de reabilitação e terapia auditiva.
A experiência dos usuários de implante coclear podem variar. A melhor maneira de entender mais sobre as experiências com um implante coclear é falar com um usuário de implante coclear.

Compreendendo a Deficiência Auditiva

A perda de audição refere-se a uma diminuição na sensibilidade de uma pessoa ao som e pode variar em graus de leve a profundo, dependendo da extensão da perda ou dano das células sensoriais, e pode ocorrer em um ou em ambos os ouvidos. A perda auditiva é o terceiro problema relacionado à saúde mais comum nos Estados Unidos. Estima-se que 28 milhões de americanos têm perda auditiva. Daqueles que têm perda auditiva, apenas seis milhões buscam ajuda auditiva e aproximadamente 700.000 deles têm uma perda auditiva severa a profunda. Além disso, a incidência de perda auditiva em recém-nascidos é de aproximadamente 1 em 1000 fazendo da deficiência auditiva o número um em problemas congênitos, superando até mesmo a Síndrome de Down e Espinha Bífida.

A perda auditiva pode ser classificada em três maneiras diferentes: 1) com base na localização da doença dentro do ouvido; 2) com base no início da perda auditiva em relação ao desenvolvimento da fala e da linguagem; 3) com base na causa da doença dentro do ouvido.

Classificação baseada na localização da doença dentro do ouvido

Existem três tipos diferentes de perda, dependendo da localização da doença dentro do ouvido. A perda auditiva condutiva, resultado de um problema que se origina no ouvido externo ou orelha média e impede ou dificulta que o som seja conduzido para o ouvido interno. A perda de audição condutiva pode resultar de uma anormalidade de desenvolvimento, tal como a ausência ou formação incompleta de uma parte do sistema do ouvido externo ou médio. O problema pode também ser causado por doenças do ouvido externo ou no ouvido médio, tais como otite média cerosa e crônica ( inflamação do ouvido médio muitas vezes acompanhada por acumulação de líquido). Este tipo de perda de audição geralmente pode ser corrigido por meios médicos ou cirúrgicos para que audição seja restaurada. A perda auditiva neurossensorial resulta de uma anomalia de desenvolvimento ou doença que afete a cóclea ou o nervo auditivo. A cóclea é o órgão que converte as ondas sonoras em energia elétrica. O nervo auditivo transmite os estímulos sonoros na forma de impulsos elétricos para o sistema auditivo central, no cérebro. Em geral, a perda de audição neurossensorial não pode ser tratada através de intervenções médicas ou cirúrgicas atuais, porque há um dano permanente ao nervo auditivo ou antes de chegar nele. A perda auditiva mista envolve tanto um componente neurossensorial e quanto condutivo. A parte condutora de uma perda mista pode ser tratada por meios médicos ou cirúrgicos, dependendo do tipo de doença presente e da porcentagem do total de perda de audição.

Classificação baseada no início da Perda Auditiva em relação à fala e Desenvolvimento da Linguagem

A perda auditiva pré-lingual está presente antes do desenvolvimento da fala e da linguagem. A perda auditiva pós-lingual se desenvolve após o início ou o desenvolvimento da fala e da linguagem, que poderia ser entre o segundo e o sexto ano de vida. Em geral, quanto mais tempo uma pessoa tenha experimentado a audição normal, melhor a chance de manter o conhecimento da língua desenvolvida.

Classificação baseada na causa da doença dentro do ouvido

A perda de audição pode também ser classificada como genética ou não-genética. A perda de audição genética é causada pela presença de um gene anormal dentro de um dos nossos quarenta e seis cromossomos. Genes são os pedaços de material químico que determinam nossas características físicas, intelectuais e outras, incluindo a cor dos olhos, configuração do corpo e forma e função das estruturas da orelha. Eles estão localizados nos cromossomas, corpos em forma de bastonete, encontrados no núcleo das células do nosso corpo. Normalmente, temos 46 cromossomos em cada célula (23 herdados de cada progenitor). A perda de audição é uma genética causada pela presença de um gene anormal dentro de um ou mais dos seus cromossomos. Este gene anormal pode ter sido passado por um ou ambos os pais ou pode ter sido desenvolvido como resultado de uma mutação espontânea ou mudança durante o desenvolvimento fetal. Cerca de 30 por cento de todas as crianças nascidas com perda auditiva ou que a desenvolvem precocemente têm um tipo genético de perda auditiva.

A deficiência auditiva não-genética é causada por um evento que resulta no desenvolvimento incompleto ou anormal das estruturas da orelha antes do nascimento ou produz danos às estruturas da orelha totalmente desenvolvida durante o período de nascimento imediato ou em algum momento após o nascimento. Não há genes anormais presentes, e portanto, não há nenhuma possibilidade de transmitir uma perda auditiva não-genética para as futuras gerações. Este tipo de perda auditiva ocorre em cerca de 70 por cento dos que nascem com deficiência auditiva.
Independentemente da classificação da perda auditiva, existem muitas opções de tratamento disponíveis para os indivíduos que têm uma deficiência auditiva. Dependendo do tipo e da gravidade da perda de audição a intervenção médica ou o uso de tecnologias assistivas, como aparelhos auditivos ou implantes cocleares podem ser apropriados. Se você suspeitar de uma perda auditiva, recomendamos que você entre em contato com um fonoaudiólogo para marcar uma avaliação auditiva e determinar seu nível de audição.

Deficiência Auditiva na criança — Existe Esperança

Saber de uma perda auditiva severa a profunda em uma criança pode ser uma notícia surpreendente para muitos pais. A maioria das crianças com perda auditiva são filhos de pais com audição normal. É normal que os pais experimentem uma ampla gama de emoções nas semanas e meses após o diagnóstico inicial de perda auditiva. David Luterman, Ph.D. descreveu o processo de luto como "uma criança normal perdida." Alguns pais ouvintes vão reagir à notícia inicialmente com intensos sentimentos de choque, negação, raiva, tristeza, culpa, medo, ansiedade e confusão quando eles recebem o diagnóstico de perda auditiva de seu filho. Em resumo, o processo de luto se move através dos estágios de choque, de reconhecimento, de negação, conhecimento e ação construtiva. Após o diagnóstico da perda auditiva, uma das primeiras ações construtivas é a busca de próteses auditivas adequadas para o seu filho. De acordo com Dr. Luterman, "A chave para uma boa aceitação da perda auditiva em uma família é o grau em que os pais são capazes de integrar a perda de audição em suas vidas. Se a perda auditiva é vista como uma tragédia ou terrível perda, o sistema familiar vai ser continuamente tomado por emoções negativas. No entanto, se ele é tratado como um aprendizado para todos, e os aspectos positivos da perda auditiva são vistos e observados, em seguida, a família vai se desenvolver. "


Escolher um fonoaudiólogo com experiência em trabalhar com perda auditiva em criança é uma consideração crucial para o sucesso na adaptação em bebês e crianças pequenas. Um fonoaudiólogo pediátrico terá conhecimentos para utilizar equipamentos e métodos de teste pediátricos adequados. As necessidades específicas dos bebês e crianças serão consideradas na seleção de moldes e aparelhos auditivos para as pequenas orelhas. Um fonoaudiólogo pediátrico deve ter flexibilidade na programação para garantir tempo suficiente de aconselhamento para ensinar os pais a otimizar o uso dos aparelhos auditivos de seus filhos. Durante o processo de aconselhamento, o fonoaudiólogo vai procurar compreender onde a família está no processo de aceitação da perda auditiva da criança e vai individualizar o plano de intervenção precoce adequadamente. O fonoaudiólogo deve ser sempre atencioso com a qualidade e quantidade de novas informações e aconselhamentos, para que a família possa lidar e se adaptar com essas necessidades durante a sessão. Os pais devem ter acesso clara e imparcialmente às informações sobre as opções de estilos de amplificação e de comunicação disponíveis para crianças com perda auditiva.


Há mais recursos do que nunca para lidar com a perda auditiva em uma criança


A boa notícia é que nunca houve tanta esperança para crianças com perda auditiva profunda. Vivemos em um momento sem precedentes e nunca tivemos tantas opções em tecnologias sofisticadas de aparelhos auditivos para melhorar a audição e qualidade de vida para as crianças com perda auditiva. Avanços magníficos nas tecnologias de próteses auditivas têm sido feitas na última década. A maioria das crianças com perda auditiva estão aptas com dois aparelhos auditivos a ter uma audição equilibrada em ambas as orelhas lhes permitindo identificar a localização de um som ou de uma conversa. Usando dois aparelhos auditivos terão mais clareza nos sons e melhor reconhecimento de palavras em ambientes sonoros ruidosos.


Aparelhos auditivos digitais programáveis ​​estão disponíveis em modelos de alta potência para permitir que o fonoaudiólogo dê o acesso para a criança à ampla gama de sons necessários para desenvolver as habilidades de linguagem e fala. O software de programação dos aparelhos auditivos e equipamentos de medição real da orelha permitem que os aparelhos auditivos sejam personalizados, otimizando a adaptação do AASI para a criança e garantindo que o sinal de fala seja entregue aos níveis de escuta mais adequados. O objetivo dos aparelhos auditivos digitais é entregar sons suaves em um nível sonoro, a fala normal em um nível confortável e a fala em intensidade alta nos níveis mais altos (mas não desconfortável). Algumas crianças com perda auditiva profunda utilizam outras formas de linguagem (linguagem de sinais ou gestos) enquanto estão desenvolvendo as suas competências linguísticas faladas. A maioria das crianças com aparelhos auditivos podem se beneficiar significativamente de um sistema FM. O sistema FM ajuda a superar alguns dos desafios de audição no ruído de fundo, à distância e em ambientes reverberantes.

Depois de um período de teste de três a seis meses com os aparelhos auditivos, algumas crianças não demonstram ganhos esperados na fala e / ou desenvolvimento de audição. Nos últimos anos, os critérios para implante coclear em crianças com perda auditiva profunda se expandiu e agora esta opção está disponível para uma ampla gama de crianças. Uma avaliação por uma equipe de um centro de implantes cocleares (cirurgião de implante coclear, fonoaudiólogo, psicólogo, e outros membros da equipe) pode determinar se esta opção será benéfica.


Os seguintes sites oferecem recursos educacionais úteis para os pais lidarem com a perda auditiva em uma criança ( em inglês ):

Alexander Graham Bell Association

The Listening Room
HearingJourney
Oral Deaf Education
John Tracy Clinic
Hands and Voices
Audiology Online 
Healthy Hearing
American Academy of Audiology
American Speech, Language, and Hearing Association

Aparelhos Auditivos de crianças: 10 Dicas para crianças pequenas

O primeiro par de aparelhos auditivos de seu filho representa um marco importante na emocionante jornada de aprender a ouvir, escutar e falar. Já que a experiência de usar aparelhos auditivos é uma coisa nova e importante na rotina diária do seu filho, vamos ajudá-lo a ter algumas dicas já testadas e comprovadas por outros pais e fonoaudiólogos pediátricos. Abaixo estão dez estratégias para favorecer o seu filho a ter um início bem sucedido na adaptação de seu novo aparelho auditivo.

  1. Estabeleça uma rotina de tempo para colocar as próteses auditivas a cada dia. É útil passar algum tempo segurando, abraçando, sorrindo e falando com seu filho na primeira vez que você colocar seus aparelhos auditivos, desenvolvendo uma associação positiva com os mesmos.
  2. A maioria dos bebês e crianças pequenas são curiosos sobre suas próteses auditivas e vão tentar retirá-los de suas orelhas. Quando você notar que o aparelho auditivo foi removido, coloque-o de volta imediatamente e seja firme em deixar seu filho saber que ele precisa para ficar em sua orelha. O objetivo é o uso diário consistente, em todas as horas que sua criança estiver acordada.
  3. Alguns pais usam uma capa leve e confortável ou um gorro para evitar que a criança puxe os aparelhos auditivos.
  4. A segurança pode ser obtida com Huggie AidsTM. Um anel de borracha ao redor do ouvido da criança que esteja adaptado aos aparelhos auditivos fixando-os em seu lugar. Muitos pais encontraram nas Huggie Aids uma solução ideal para a retenção. Os Huggie Aids variam em tamanho e precisarão ser alterados conforme a orelha de seu filho cresce.
  5. Um micropore ou uma cola de peruca podem ser usados para manter o aparelho auditivo estável e seguro atrás da orelha da criança. A fita deve ser mudada frequentemente e pele da criança deve ser verificada regularmente para detectar sinais de vermelhidão ou irritação.
  6. O audiologista da criança pode experimentar o uso de um gancho de tamanho menor para assegurar um ajuste mais confortável e estável. Além disso, os tubinhos e moldes auriculares devem ser verificados regularmente para garantir que estejam no tamanho e comprimento adequados para as orelhas em rápido crescimento. Se os moldes parecem soltos ou constantemente apitando, é provavel que seja o momento de substituição. As crianças pequenas podem precisar de novos moldes de três em três meses.
  7. Os Clips de aparelhos auditivos com desenhos divertidos podem ser presos à camisa do seu filho enquanto um pequeno fio vai ser fixado no aparelho auditivo. Se o aparelho auditivo cai, ele estará fixo de forma segura à roupa do seu filho. 
  8. Os aparelhos auditivos e os moldes podem ser obtidos em uma variedade de cores. Permitir que seu filho participe do processo de seleção e escolha a sua cor favorita pode ser muito motivador para bebês e crianças pré-escolares.
  9. Ensine todos os profissionais de saúde do seu filho como trocar as baterias do aparelho auditivo e ajustar o volume para um nível confortável. Certifique-se de que eles entenderam como colocar e tirar os aparelhos auditivos.
  10. Umidade nos aparelhos auditivos podem afetar sua qualidade e o seu desempenho. Os compartimentos das baterias dos aparelhos auditivos devem ser abertos todas as noites e eles devem ser colocados em um kit Dri-AidTM (desumidificador) para remover a umidade..

Muitos pais acham que ter o apoio e incentivo de outros pais de crianças com deficiência auditiva pode ser um recurso valioso. Peça ao seu fonoaudiólogo para colocá-lo em contato com outras famílias e grupos de apoio locais ou estaduais para famílias de crianças com perda auditiva.

O implante coclear é o ideal para mim ou para meu filho?

Os implantes cocleares ajudam as pessoas que não estão conseguindo benefício suficiente com a prótese auditiva. As afirmações a seguir podem ajudar a determinar se você é um candidato ao implante coclear:


1. Tenho dificuldade em acompanhar conversas sem leitura labial.

2. Eu ouço muito bem em ambiente calmo, mas eu me esforço em grupos ou lugares barulhentos.

3. Eu não consigo acompanhar a maioria das conversas telefônicas; especialmente se eu não conhecer a pessoa chamada.

4. Eu me sinto isolado e limitado social e ocupacionalmente, por conta da minha perda auditiva.


Se você respondeu "sim" a qualquer uma dessas declarações, você pode se beneficiar de um implante coclear. Isto sugere que você deve fazer uma avaliação em um centro de Implante Coclear para saber se você é um candidato.

Como profissionais de saúde auditiva determinam quem pode se beneficiar.

Uma avaliação da equipe é necessária para determinar se você é candidato ao implante coclear. Um cirurgião exclui as contra-indicações médicas com um exame físico, uma ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada e a revisão do seu prontuário.
Um audiologista irá avaliar o tipo e o grau da perda auditiva, avaliar o benefício funcional recebido com os aparelhos auditivos e discutir os potenciais benefícios a serem obtidos a partir de um implante coclear.

enter text here
Um ou dois implantes cocleares?

Os benefícios do implante coclear têm aumentado progressivamente com melhorias na tecnologia e na prática clínica ao longo das duas últimas décadas. A maioria dos 100.000 usuários de implante coclear em todo o mundo têm recebido benefícios substanciais na comunicação com o implante em apenas um ouvido.

No entanto, a natureza brindou cada um de nós, com duas orelhas. Para as pessoas com audição normal, duas orelhas aprimoram a audição no ruído e a localização do som. Portanto, é natural considerar o benefício potencial do implante coclear bilateral (ambas as orelhas).

Quais são os potenciais benefícios do implante bilateral?

  1. 1. Ouvir melhor no ruído
  2. 2. Localizar melhor os sons
  3. 3. Maior facilidade de escuta - menos esforço exigido, menos estress e menos cansaço
  4. 4. Vantagens situacionais - você não precisa considerar onde sentar-se para que a sua orelha implantada esteja na posição ideal para captação do som (por exemplo, carros, salas de aula, teatros, etc.)
  5. 5. Melhorias na qualidade - os sons podem ser mais completos, mais ricos e mais naturais 1,2

Estudos têm mostrado benefício significativo em adultos e crianças com dois implantes. Você deve discutir a opção de obter dois implantes com a equipe que lhe acompanha.

Se você tiver escolhido um Harmony ou dois, agora você está pronto para a próxima etapa da viagem para a audição: : Adquirindo um implante coclear.

A prática de ouvir é importante para melhorar o desempenho de audição e de linguagem.

Acesse The Listening RoomTM e encontre exercícios interativos para download, projetados para ajudar você ou seu filho a ouvir os sons dinâmicos da vida.

O Listening Room é um website único que oferece aos familiares e profissionais atividades que apoiam o desenvolvimento da fala, linguagem e as habilidades de audição.

Ferramentas para crianças

Tools for ToddlersTM foi desenvolvido para auxiliar e dar suporte a pais, melhorando os aspectos gerais da jornada auditiva de seus filhos. Use estas ferramentas para facilitar o desenvolvimento da linguagem: